Menino de 10 anos recebe investimento de bilionário

O bilionário Chris Sacca investiu US$ 50 mil em um negócio fundado por Jack Bonneau, um menino de 10 anos, no início de novembro. O aporte foi negociado e fechado no programa “Shark Tank”, que reúne investidores de peso de diferentes mercados, para ouvir pitchs de empreendedores e investir ou não em seus negócios. 

Jack é dono de uma pequena rede de barracas de limonada no Colorado. O negócio faturou mais de US$ 100 mil no ano passado. Ele ofereceu 10% da empresa em troca de US$ 50 mil para expandir as operações e saiu saiu de lá com um acordo fechado. 

Como tudo começou 

Há dois anos, como muitos meninos americanos, Jack Bonneau montou uma barraca de limonada para ganhar algum dinheiro e comprar um kit de Lego. Logo no começo da empreitada, contudo, o garoto de oito anos já mostrou jeito para os negócios. Em vez de estabelecer o empreendimento na esquina de sua casa, na cidade de Broomfield, no Colorado, ele decidiu elaborar um plano mais ambicioso. Ele montou sua barraca em uma feira de produtos orgânicos da região. 

A estratégia foi um sucesso. Em apenas um verão, Jack faturou US$ 2 mil e teve um lucro de US$ 900. Para um menino ainda na escola, essa quantia podia ser suficiente não só para comprar o kit de Lego, mas videogames e sorvetes pelos próximos meses. Mas ele não quis parar por ali. 

Na primavera, a barraca de limonadas ganhou um nome oficial, Jack’s Stand (ou Barraca do Jack), e um plano de expansão. Junto com seu pai, Steve Bonneau, o garoto criou um website, montou novas barracas e passou a vender as bebidas em três outras feiras de orgânicos. 

Para pagar a expansão da operação, os dois ainda pegaram um empréstimo de US$ 5 mil no banco Young Americans Bank, instituição financeira com sede em Dever, capital do Colorado, especializada em empréstimos para crianças. 

Jack também contratou um time de vendas, formado por outras crianças que queriam ter o seu próprio dinheiro. Elas se revezam na operação de cada barraca. Com a autorização dos pais, o menino ensinou a seus amigos sobre como vender o produto e divulgá-lo nas feiras. No ano passado, as três barracas renderam ao empreendedor mais de US$ 100 mil em faturamento.

Comentários