Segundo pesquisa, jogar queimada pode causar opressão

De acordo com o  jornal The Washington Post uma pesquisa apontou que um dos esportes mais comuns nas escolas pode agir como ferramenta de “opressão”: a queimada. 

O estudo foi apresentado no Congresso de Ciências Humanas e Sociais, em Vancouver, no Canadá, e deve ser publicado na revista European Physical Education Review.

Segundo os pesquisadores, o jogo ensina os alunos a desumanizar e prejudicar os pares. 

“Quando você apresenta a ideia de que não há problema em bater a bola em quem você gosta, mesmo que seja uma bola macia, a intenção [agressiva] está lá”, disse Joy Buttler, em entrevista ao jornal. Ela é professora e estuda pedagogia e desenvolvimento curricular na University of British Columbia. 

Jogos nas escolas 

A pesquisa começou com uma abordagem mais ampla sobre as aulas de educação física no ensino médio. No entanto, ao ouvir os estudantes, os pesquisadores repararam que as respostas que eles davam eram sempre a mesma: os alunos odiavam a queimada. 

Os cientistas, então, se aprofundaram no tema e perguntaram aos estudantes por que eles não gostavam do jogo. Depois, cruzaram as respostas com o conceito de opressão, definido por Iris Marion Young no artigo ‘As cinco faces da Opressão’, publicado no livro "Justiça e Política da Diferença", de 1990. 

As respostas dos estudantes eram semelhantes ao conceito de Young. 

Os pesquisadores observaram que, quanto mais atlético e autoritário era um estudante, mais ele estabelecia as regras e criava suas próprias equipes, voltando-se contra outros alunos. A conclusão da pesquisa é importante para o Canadá, já que o país está passando por uma reformulação das aulas de educação física, para reverter a tendência de as meninas abandonarem essa disciplina.

E você, o que acha da brincadeira?

Com informações G1

Comentários