Saúde Mental│ A importância do brincar na infância e na psicoterapia

Brincar na Infância
Brincar é muito importante para as crianças

Muitos vão achar que crianças apenas conversam na terapia, aí que tá: sim e não. Vai depender da idade e como ela vê aquele lugar e o que significa.   

E para cativar está criança e se tornar um ambiente acolhedor e obter confiança é necessário usar o lúdico que seriam as brincadeiras, os jogos e várias outras atividades. É por meio da brincadeira que o psicólogo tem a oportunidade de observar a criança em sua forma mais autêntica e espontânea, pois a mesma encontra uma possibilidade de ser ela mesma no setting terapêutico.   

O brincar também serve como uma linguagem para a criança como um simbolismo que substitui as palavras. No brincar percebemos seu jeito, sua maneira de agir, o que o desenho e as brincadeiras podem representar e assim conseguimos perceber por gestos os medos e as dificuldades de cada criança e dependendo de certos casos encaminhar para outros profissionais ou até mesmo fazer um trabalho conjunto.  

A ludoterapia é a psicoterapia voltada para o tratamento psicológico de crianças. A principal ferramenta dessa abordagem é a brincadeira. É através do ato de brincar que o psicólogo tem acesso ao mundo interior da criança e consegue ajudá-la a superar os desafios que a afligem.

A brincadeira na infância, tem o intuito de trazer a mais genuína forma de ser criança. Na brincadeira a criança se desenvolve por completo em diversos aspectos, segue alguns dos benefícios: 

Auxilia a explorar sentimentos e emoções, encoraja a criatividade e autoexpressão, permite a liberação de medos, apreensões, instabilidade, frustrações, insegurança, irritabilidade, eleva a autoestima, melhora as habilidades sociais e relacionamentos com pais, colegas e professores, facilita a compreensão dos próprios sentimentos por parte da criança e previne futuros conflitos interpessoais. 

Além do desenvolvimento da cognição, coordenação motora e orientação espacial (se situar em relação a objetos). 

Colaboração de: Paola Alves Pinto
"Amar a psicologia é amar, escutar e ajudar pessoas, ter empatia, olhar atento e humano. Ser psicóloga é enxergar o outro lado sem julgamentos e preconceitos, assim estabelecendo confiança e respeito. É fazer sentido para outras vidas."   

Formada em Psicologia (CRP: 5/53273), Pós-Graduada em Gestão Estratégica de Pessoas e Pós-graduanda em Saúde Mental e Atenção Psicossocial

Contatos: Facebook: paola.alves.750 /  Instagram: @psipaolaalves /  Tel: 21 967276568

Comentários