Você pode ter uma nota Sueca em suas mãos

Sem perceber, você pode ter na carteira uma nota sueca. Estão em circulação desde janeiro de 2017 cerca de 100 milhões de notas de R$ 2, fabricadas pela empresa Crane AB em Estocolmo, na Suécia. 

Apesar de “internacional”, a cédula não é rara, já que a proporção de circulação é de uma nota sueca para cada 10 brasileiras. De acordo com o Banco Central do Brasil, a empresa foi contratada em regime de urgência, sem licitação, porque a instituição brasileira não seria capaz de suprir a demanda. Outra justificativa para a adoção do novo modelo foi a economia de 17% na impressão das notas, passando de R$ 242,73 para cada mil células para R$ 202,05 pela mesma quantidade. 

A principal diferença entre a nota fabricada pela Casa da Moeda, no Rio de Janeiro, e a feita pela Crane AB, na Suécia, é a identificação de sua produção. No verso, na parte inferior direita, aparece escrito “Crane AB” no lugar de “Casa da Moeda do Brasil”. Outra mudança é o número de série da cédula, que começa com o código “DZ”. 

Essa não é a primeira vez que o Brasil conta com a ajuda de outros países para imprimir suas cédulas. Na década de 1960, as notas eram impressas por gráficas britânicas e norte-americanas.

Comentários