Saúde Mental│Estresse no trabalho: Como ter qualidade de vida e saúde mental?

O Estresse é uma resposta física do nosso organismo a um estímulo. Quando estressado, o corpo pensa que está sob ataque e muda para o modo “luta ou fuga”, liberando uma mistura complexa de hormônios e substâncias químicas como adrenalina, cortisol e norepinefrina para preparar o corpo para a ação física.

O estresse no ambiente de trabalho pode ocorrer por diversos fatores por exemplo: quando os colaboradores se sentem pressionados, submetidos a uma carga de trabalho extrema, são mal remunerados, não recompensados ou se sentem desconfortáveis com seus colegas ou líderes.

Isso pode acarretar certos comportamentos de revolta, angustia, desespero, pouca colaboração com os colegas e o trabalho, pouca produtividade, raiva, falhas de memória, muita ansiedade, inquietação entre outros sintomas.

Locais de trabalho com regras excessivas ou falta de oportunidade de crescimento, não valorização ou meritocracia, contribuem para o aparecimento do estresse, que pode ser agravado também por questões pessoais.

Os líderes e chefes devem se atentar a qualidade de vida e saúde mental dos seus colaboradores, fazer feedbacks constantes para avaliar certas causas aparentes do porque a pessoa está sob estresse, desanimada ou diferente do seu habitual. Por isso, é importante não só prestar atenção ao ambiente, como um todo, mas também a cada indivíduo envolvido com a empresa.

Umas das doenças que aparecem quando se tem alto nível de estresse é a Síndrome de Bornout que também é conhecida como síndrome do esgotamento profissional. É um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes.

Descrito em 1974 por Freudenberger, um médico americano, o transtorno está registrado no grupo 24 do CID-11 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde) como um dos fatores que influenciam a saúde ou o contato com serviços de saúde, entre os problemas relacionados ao emprego e desemprego.

Sua principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. A síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso.

Os sintomas mais comuns do distúrbio são:

• Ausências no trabalho; agressividade; isolamento; mudanças de humor; irritabilidade; dificuldade de concentração; falhas de memória; ansiedade; depressão; pessimismo e baixa autoestima.

O tratamento da síndrome de Burnout inclui o uso de antidepressivos e psicoterapia. A atividade física constante e exercícios de relaxamento também são recomendados para ajudar a controlar os sintomas.

Um jeito de prevenir o estresse da rotina e ter uma vida mais saudável e menos estressante é recomendável sempre conversar com seu gestor ou líder imediato e explicar o que está lhe afetando, dormir bem, praticar atividades físicas, respeitar seus limites, não criar situações para o dia posterior isso só afetara sua ansiedade, não ser tão pessimista sobre fatos e situações e caso necessário faça terapia.

Colaboração de: Paola Alves Pinto
Amo conhecer pessoas e ajuda-las. Amante da psicologia e como a mesma pode mudar vidas."   

Formada em Psicologia (CRP: 5/53273), Pós-Graduada em Gestão Estratégica de Pessoas e Pós-graduanda em Saúde Mental e Atenção Psicossocial

Contatos: Facebook: paola.alves.750 /  Instagram: @psipaolaalves /  Tel: 21 967276568

Comentários